Tratamento: Câncer de cabeça e pescoço

As chances de cura são maiores se a doença for detectada no início. Com o autoexame, por exemplo, é possível identificar se existem feridas na boca que não cicatrizam há mais de duas semanas ou inchaços no pescoço.
Além das terapias tradicionais, nos últimos anos algumas drogas promissoras têm conseguido melhorar o prognóstico dos pacientes, com uma ação mais eficiente e menos agressiva ao organismo, como as imunoterapias e terapias-alvo.
A conscientização sobre essas doenças também reforça o trabalho de entidades como a SBCCP e ACBG, pelo maior acesso a tratamentos inovadores e suporte ao paciente pós-terapias.

Fonte: https://sbccp.org.br/