Tratamento

Apesar de todos os avanços da ciência, o câncer ainda assusta e causa medo a cada novo diagnóstico. Não é para menos, a mortalidade ainda é alta em alguns tipos da doença, tendo isso em mente, o melhor caminho é, sem dúvida, o da prevenção. Para ajudar não só na prevenção da doença, mas na busca de uma melhor qualidade de vida, a Oncominas lista os principais fatores de risco, como fazer para se proteger e ter uma vida mais saudável

Quais os tratamentos para o câncer do colo uterino?

A cirurgia, a quimioterapia e a radioterapia são os tratamentos mais comuns. Mas depende do estágio de evolução da doença, do tamanho do tumor e de fatores pessoais, como idade da paciente e desejo de ter filhos. Se confirmada a presença de lesão precursora, ela poderá ser tratada a nível ambulatorial, por meio de uma eletrocirurgia.

Tratamento de leucemia

O tratamento das leucemias dependem do tipo da leucemia e é baseado em quimioterapia. Muitas delas são curáveis, outras são controláveis e a pessoa pode levar uma vida praticamente normal, já outras por muitas vezes não precisará de tratamento.

Tratamento de câncer de próstata: Radioterapia

A radioterapia exerce papel fundamental no tratamento de câncer de próstata e está indicada em tumores localizados, com finalidade curativa, e, em algumas situações, pode ser aplicada em doença metastática. As técnicas mais utilizadas são: 3D conformacional e IMRT (Radioterapia de Intensidade Modulada). A IMRT permite ser aplicada em doses maiores no tumor e poupa os tecidos normais, quando comparada a técnica 3D. Na Oncominas, possuímos além de IMRT, uma nova técnica, chamada VMAT (Arcoterapia volumétrica modulada), que trata de maneira mais

Tratamento de câncer de próstata: Hormonioterapia

A hormonioterapia é um tratamento muito usado para o câncer de próstata. As células tumorais do câncer prostático respondem ao estímulo da testosterona, um hormônio que é convertido em um subtipo mais potente na próstata. O bloqueio na produção da testosterona faz com que o câncer de próstata “morra de fome”, não recebendo estímulo para a divisão celular e consequente crescimento tumoral.