Quais são os Tipos de Tratamentos Oncológicos?

O diagnóstico de câncer sempre é um impacto significativo tanto na vida do paciente como na dos familiares. Procurar entender o que está acontecendo e os tipos de tratamentos disponíveis podem ajudar nessa caminhada. Mas lembrem-se: Sempre procurem informações com profissionais confiáveis. Cada caso é único. Nada de tirar conclusões baseadas no “Dr. Google”. Costumo dizer que os vários tipos de câncer deveriam ter nomes diferentes pois são doenças que tem comportamentos e evoluções completamente distintas. Por exemplo: Um câncer de próstata em paciente idoso talvez nem precise de tratamento. Já um câncer de mama em uma paciente de 45 anos requer o uso de todas as modalidades de tratamento disponíveis para seu caso. E digo mais: A oncologia esta tão evoluída que duas pessoas com câncer de mama podem possuir doenças completamente diferentes em vários aspectos, inclusive com tratamentos completamente distintos. Meu objetivo hoje é explicar brevemente sobre cada modalidade de tratamento disponível para vencermos essa luta. Futuramente podemos nos aprofundar sobre cada modalidade e suas características.

Um tratamento de excelência para qualquer tipo de câncer sempre envolve uma equipe multidisciplinar, ou seja, vários profissionais trabalharão juntos nas tomadas de decisões sobre a melhor abordagem possível para o caso. Isso pode envolver o oncologista clinico, radioterapeuta, cirurgião oncológico, mastologista, urologista, coloproctologista, nutricionista, psicólogos, entre outros.

A depender da localização, estado de saúde geral do paciente, efeitos colaterais,  estadiamento (se esta localizado ou já alcançou outros órgãos) do câncer, um ou mais dos profissionais citados acima poderão ser utilizados para programar os tratamentos necessários e a melhor seqüência entre eles.

Os principais tipos de tratamentos contra o câncer são:

  • Cirurgia. Foi o primeiro tratamento instituído contra o câncer. É utilizado para vários tipos de tumores e pode ser curativo quando a doença é diagnosticada em estágio inicial. Em algumas situações utilizamos a quimioterapia mesmo após a remoção completa do tumor, com o objetivo de eliminar algum foco residual microscópico. A cirurgia também pode ser realizada com objetivo de diagnóstico, como na biopsia cirúrgica, alívio de sintomas como a dor e, em alguns casos, para remoção de metástases quando o paciente apresenta condições favoráveis para tal procedimento.

 

  • Quimioterapia. O tratamento quimioterápico utiliza medicamentos para destruir as células tumorais. De forma geral, a quimioterapia é administrada por via venosa, embora alguns quimioterápicos possam ser administrados por via oral, subcutânea, entre outras possibilidades. Podemos usar uma ou várias medicações ao mesmo tempo. É importante lembrar que todo tratamento é individual. Nem todos os pacientes recebem as mesmas drogas, apesar de ter o mesmo tipo de câncer.. A quimio de acordo com seu objetivo, pode ser curativa (quando usada com o objetivo de obter o controle completo do tumor), adjuvante (quando realizada após a cirurgia, com objetivo de eliminar as células cancerígenas remanescentes, diminuindo a incidência de recidiva e metástases à distância), neoadjuvante (quando realizada para reduzir o tamanho do tumor, visando que o tratamento cirúrgico possa ter maior sucesso) e paliativa (sem finalidade curativa, é utilizada para melhorar a qualidade da sobrevida do paciente).

 

  • Radioterapia. É o uso das radiações para destruir ou inibir o crescimento das células anormais que formam um tumor. É feita em um aparelho específico semelhante a uma tomografia computadorizada. Embora as células normais também possam ser danificadas pela radioterapia, geralmente elas podem se reparar, o que não acontece com as células cancerí É aplicada em pequenas doses diárias e o profissional responsável é o radioterapeuta. Existem vários tipos de radioterapia e cada um deles têm uma indicação específica dependendo do tipo de tumor e estadiamento da doença: A radioterapia pode ser utilizada como o tratamento principal do câncer ou associada a outros tratamentos.

 

Por Dr. Rodrigo de Oliveira Lima (CRM 39.473 | RQE 33.730),

Médico Oncologista Clínico da Oncominas e Membro Titular da SBOC.