Hormonioterapia no câncer de mama

A hormonioterapia no câncer de mama teve seu inicio na década de 70 com o advento do Tamoxifeno, um modulador seletivo dos receptores de estrógeno, que atuam no tecido mamário impedindo a ligação do hormônio com as células e desta forma impedindo seu crescimento.

De lá pra cá novas drogas foram criadas com mecanismos de ação diferentes, mas com o mesmo objetivo.

Não são todas as mulheres com diagnóstico de câncer de mama que tem indicação com benefícios em usar estes medicamentos, apenas os tumores que expressam os receptores para estrógeno e progesterona tem esta indicação. Isto é descoberto através de um exame chamado Imunohistoquíca, o qual é feito através da biopsia ou do material da cirurgia.