Tratamento

Apesar de todos os avanços da ciência, o câncer ainda assusta e causa medo a cada novo diagnóstico. Não é para menos, a mortalidade ainda é alta em alguns tipos da doença, tendo isso em mente, o melhor caminho é, sem dúvida, o da prevenção. Para ajudar não só na prevenção da doença, mas na busca de uma melhor qualidade de vida, a Oncominas lista os principais fatores de risco, como fazer para se proteger e ter uma vida mais saudável

Você sabe o que é imunoterapia?

É uma opção de tratamento oncológico que tem avançado e trazido ótimos resultados nos últimos anos. O nosso corpo é preparado para destruir células que se devolvem de forma anormal (câncer), entretanto, alguns tumores desenvolvem mecanismos para “desligar” a resposta imunológica do nosso organismo, um exemplo de chave “liga e desliga”. O mais conhecido e estudado mecanismo é a ligação do PD-L1 com a proteína PD-1. Ao se ligarem estas duas moléculas, uma no tumor e outra no linfócito (célula de

CÂNCER DE COLORRETAL

O câncer colorretal consiste nos tumores que acometem os cólons (ascendente/direito, transverso e descendente/esquerdo) e o reto. Inicia-se a partir de pólipos no intestino que,se não forem removidos, evoluem para tumores. Apresenta pouca relação hereditária, ficando nestes casos restritos somente a síndromes polipoides familiares e outras síndrome genéticas mais raras como a Sd. Lynch. É o terceiro tipo de câncer mais frequente entre os homens e o segundo entre as mulheres. Estimam-se 36 mil novos casos no Brasil em 2018.

Cuidados durante o tratamento de um câncer

O diagnóstico de um câncer pode mudar completamente a vida de uma pessoa, principalmente quando falamos dos efeitos colaterais que a doença pode acarretar na rotina do paciente. No entanto, poucas pessoas se preocupam com a saúde do coração durante o tratamento contra algum tipo de neoplasia. Alguns remédios utilizados podem trazer diversos problemas para o bom funcionamento do coração, como, por exemplo, certos quimioterápicos, que podem causar insuficiência cardíaca. De acordo com a médica da Oncominas, Dra. Renata Dias, a