Hormonioterapia

Apesar de todos os avanços da ciência, o câncer ainda assusta e causa medo a cada novo diagnóstico. Não é para menos, a mortalidade ainda é alta em alguns tipos da doença, tendo isso em mente, o melhor caminho é, sem dúvida, o da prevenção. Para ajudar não só na prevenção da doença, mas na busca de uma melhor qualidade de vida, a Oncominas lista os principais fatores de risco, como fazer para se proteger e ter uma vida mais saudável

Diferenças entre Quimioterapia, Hormonioterapia e Imunoterapia no Tratamento do Câncer

O diagnóstico de câncer pode ser uma experiência avassaladora, tanto para o paciente quanto para seus entes queridos. No entanto, avanços significativos têm sido feitos no campo do tratamento do câncer, proporcionando uma variedade de opções terapêuticas. Três dessas opções comumente usadas são a quimioterapia, a hormonioterapia e a imunoterapia. Cada uma delas tem suas próprias particularidades e é essencial compreendê-las para um melhor entendimento do tratamento.   Quimioterapia A quimioterapia é uma forma de tratamento que utiliza medicamentos poderosos para destruir as

Tratamento de câncer de próstata: Hormonioterapia

A hormonioterapia é um tratamento muito usado para o câncer de próstata. As células tumorais do câncer prostático respondem ao estímulo da testosterona, um hormônio que é convertido em um subtipo mais potente na próstata. O bloqueio na produção da testosterona faz com que o câncer de próstata “morra de fome”, não recebendo estímulo para a divisão celular e consequente crescimento tumoral.

Câncer de Próstata: Qual o tratamento?

O tratamento do câncer de próstata pode ser através da cirurgia ou radioterapia em associação ou não com hormonioterapia. A indicação de cirurgia ou radioterapia deve ser feita através de uma equipe multidisciplinar com urologistas, radioterapeutas e oncologistas.

Hormonioterapia no câncer de mama

A hormonioterapia no câncer de mama teve seu inicio na década de 70 com o advento do Tamoxifeno, um modulador seletivo dos receptores de estrógeno, que atuam no tecido mamário impedindo a ligação do hormônio com as células e desta forma impedindo seu crescimento. De lá pra cá novas drogas foram criadas com mecanismos de ação diferentes, mas com o mesmo objetivo. Não são todas as mulheres com diagnóstico de câncer de mama que tem indicação com benefícios em usar estes medicamentos,